32 ANOS SINAP

O Sinap foi Fundado em 02 de dezembro de 1988, com o propósito e diretrizes em formular uma Gestão onde as Advogadas e os Advogados associados e filiados junto ao Sinap, têm a participação intensamente das atividades do Sinap, e todos, em conjunto, e a cada Gestão, tornam o Sinap mais forte e mais atuante da classe de Advogados.

Assim, se definem as diretrizes: propor e defender medidas no interesse dos advogados, cooperação e resultado nestas medidas, fortalecimento das parcerias institucionais e nos Acordos Coletivos de Trabalho e nas Convenções Coletivas de Trabalho, sempre em defesa dos advogados e fortalecimento da classe, assim, edifica-se o porvir.

Podemos dizer que o exercício da advocacia reflete a verdadeira voz da cidadania.

A advocacia é tida como umas das profissões mais antigas e tradicionais na história da humanidade, e foi na Roma antiga que ficou conhecida a representação judicial por meio dos “advocati”, que eram os representantes judiciais da época.

A importância da difícil arte em advogar. Em primeiro Ato “A Escolha” – O sacrifício é bem maior e às vezes muito longe do fantasioso mundo do sucesso, até que sai a lista dos aprovados no vestibular. Lá estava o meu nome, Lá estava o seu nome, lá estava os nomes dos estudantes e dos doutores aqui presentes. Mas o sonho demanda sacrifícios, as vezes falta de dinheiro e de tempo, noites de estudos, renúncias. Até que, por fim, conclusão do curso. “O que fazer agora?” Exame da OAB! Mas é preciso ter nervos de aço para suportar a pressão.

Mas uma hora ela chega, a tão sonhada “carteira da OAB”, e com ela na mão, damos o segundo ato “Os Primeiros Passos” – Quando iniciamos é comum estarmos abertos a diversas áreas jurídicas, mas nem sempre é correto. É mais recomendável, eticamente que busque a área de mais afinidade, pois o cliente que o procura, faz isso buscado o profissional que resolva o seu problema e que em específico. O Advogado, não é Economista, Contador ou Administrador, mas é preciso saber um pouco de cada, quando se tem um escritório ou até uma estrutura completa de colaboradores para auxiliá-lo. Portanto, encerra-se o segundo ato com a premissa de que o Advogado não é uma máquina.

Terceiro ato “O improvável Inimigo” – O Advogado é indispensável à administração da justiça! A Constituição garante este preceito no Art. 133.

Alguns colegas dizem que o advogado é um “mal necessário”. Mas discordamos desta afirmação, por isso acaba por estigmatizar toda uma classe já tão massacrada ao longo do tempo. Nossos amigos criminalistas que o digam. As vezes ocorre a generalização de “ofensivas” aos profissionais que se dedicam à nobre defesa dos Direitos Humanos e à Advocacia Criminal.

Porém, o Advogado é qualificado para resolver pequenos e grandes problemas jurídicos que o cidadão enfrenta. Assim, cabendo ao Advogado conseguir demonstrar ao seu cliente que tudo que estava ao seu alcance foi realizada, devendo se aguardar a decisão, que virá sabe-se lá quando.

O epílogo, o Direito, a carreira é forte de muitas satisfações, bem como crescimento pessoal e profissional, permitindo o Advogado a conhecer o mundo imperceptível aos olhos de alguns e manter a mente sempre aberta as mudanças sociais com novos enfoques para serem aparados, e sem qualquer cinismo, ser Advogado “não tem preço”. O profissional que buscar soluções adequadas e éticas, a probidade de realização profissional é quase certa.

Portanto, encerro a minha breve fala e assim dando a continuidade do nosso objetivo em estarmos aqui nesta manhã, para realização deste honroso encontro. Quero acreditar que possamos vivenciar valores e estabelecendo diálogos saudáveis, sensatos, e focados no que buscamos em comum, com tolerância aos sentimentos e pensamentos de cada um.




8 visualizações0 comentário