Morre aos 86 anos, o advogado René Dotti

O advogado René Ariel Dotti, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), morreu na manhã desta quinta-feira (11/2) aos 86 anos. A morte ocorreu por causas naturais.


Dotti se graduou em Direito na UFPR em 1958. Foi docente de Direito Processual Penal no curso de pós-graduação até se tornar titular de Direito Penal. Também atuou como coordenador didático do curso de especialização em Advocacia Criminal da Faculdade Cândido Mendes Paraná.

O advogado foi corredator dos anteprojetos de lei 7.209/84 (reforma da Parte Geral do Código Penal) e da Lei 7.210/84 (Lei de Execução Penal). Recebeu a medalha Mérito Legislativo da Câmara dos Deputados em 2007.

A morte foi lamentada pelo ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal. "Recebi há pouco, com muita tristeza, a notícia do falecimento do amigo René Ariel Dotti, advogado e professor cuja atuação foi sempre uma fonte de inspiração e de sabedoria para mim e para todos seus muitos seguidores. O professor Dotti deixa um exemplo de retidão, de compromisso com o Estado democrático de Direito e de coragem em defesa das garantias fundamentais de brasileiros de múltiplos setores da sociedade não só durante o regime militar, mas na reconstrução do Estado democrático de Direito do Brasil."

"Todas as homenagens serão insuficientes para reconhecer o legado da vida e da obra jurídica desse grande brasileiro. Transmito minhas condolências à família Dotti neste momento de grande pesar para todos os que o conhecemos e o admiramos", completou o ministro.

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins, também expressou seu pesar. "Quero destacar que foi uma grande perda para o Brasil e para o mundo jurídico, e será encaminhada à família os votos de sentimento e as homenagens do Superior Tribunal de Justiça, em nome de todas as ministras e ministros. E dizer do nosso reconhecimento do notável trabalho do professor René Dotti. Para todos nós, é um dia de tristeza", afirmou.

"Foi um professor que encantou gerações de alunos e, portanto, deixará uma memória sempre pranteada", acrescentou Sergio Kukina, ministro do STJ.

"O professor René foi um baluarte do Direito e um incansável defensor da liberdade. Mas foi, sobretudo, um ser humano de uma generosidade e uma solidariedade sem tamanhos", disse à ConJur Alexandre Knopfholz, sócio do Dotti e Advogados.

O escritório também emitiu um informe sobre a morte. "Por quase seis décadas, Dotti contribuiu com o ensino jurídico, com diversos livros e pareceres. Dotti deixa a esposa Rosarita, as filhas Rogéria e Cláudia, e os netos Gabriel, Pedro, Lucas e Henrique, além de uma legião de admiradores na área do Direito e em todas as esferas da sociedade", diz a nota.

Cassio Telles, presidente da OAB-PR, lamentou a morte. "Infelizmente o professor René nos deixou. É um dos dias mais tristes da nossa geração. A figura do professor René se confunde com a estatura da OAB-PR, que ele tão brilhantemente ajudou a elevar. Um democrata, um defensor das liberdades, um apaixonado pela Justiça. Uma perda irreparável para o Brasil. Que tristeza. Lamento muito."

O criminalista Bruno Salles Ribeiro disse que a morte de Dotti representa uma "perda imensa". "A importância do professor para as ciências criminais é indiscutível. Nos quatro cantos do Brasil suas obras serão sempre referências para os estudos de Direito Penal."

O também criminalista Eduardo Sanz disse que Dotti foi "um dos maiores exemplos de dignidade, correição, lealdade e defesa dos direitos fundamentais" que ele teve a oportunidade de conviver na advocacia.

"Grande amigo, pessoa e um conselheiro leal. Perde o Paraná, perde o Brasil. Perdemos todos nós. Ficamos com as lições e as lembranças fraternas de um grande ser humano. Descanse em paz. Votos de conforto e carinho para toda a família Dotti e colegas de escritório."

Pierpaolo Cruz Bottini também destacou a importância de Dotti para o Direito Penal. "Morre um pedaço da história do direito penal brasileiro, um jurista que contribuiu muito com o desenvolvimento da ciência e da dogmática, autor de livros nos quais todos nós estudamos. Todos nós devemos parte de nossa formação profissional ao professor René Ariel Dotti".

Nabor Bulhões faz coro ao lamento. "Perda irreparável para a advocacia, para o direito e para a democracia brasileira! Grande advogado, notável jurista e professor, René Dotti dedicou sua vida à causa do direito, das liberdades e da justiça. O seu legado servirá de inspiração para muitas gerações! Nós, os seus amigos, estamos consternados com o seu falecimento, mas certos de que a profunda tristeza do momento, com o passar do tempo, transformar-se-á em doce memória de um jurista que soube ser, que pautou a sua trajetória, acima de tudo, pelo respeito incondicional à dignidade da pessoa humana!"

Ophir Cavalcanti também prestou homenagens a Dotti. "O Professor René Dotti foi conselheiro federal entre 2010/2013, quando fui Presidente do CFOAB. Um grande ser humano, pai, esposo, professor, jurista, advogado e um democrata. Um homem educado, sério, trabalhador e consciente de que a advocacia pode ser, quando utilizada com ética e solidariedade, um grande instrumento de defesa da sociedade, especialmente das liberdades. Foi um homem culto que estava à frente do seu tempo. Perde a advocacia, a academia e o país com essa partida de um verdadeiro repub